Foliculite no rosto tem solução?

Foliculite no rosto tem solução?

A foliculite no rosto e a pseudofoliculite são incômodos que surgem por diferentes motivos, contudo são mais comuns após a depilação ou o ato de se barbear. Trata-se de desconfortos que, se não tratados logo no início, podem trazer consequências um pouco mais complicadas.
Vamos abordar, neste post, informações esclarecedoras sobre a foliculite. Acompanhe!

O que é foliculite?

É a inflamação dos folículos pilosos, que dão origem aos pelos, ocasionando a inflamação na sua raiz, na parte de dentro da pele. Na maioria dos casos, ocorre infecção causada por bactérias, fungos ou vírus.
Entre os sintomas aparecem vermelhidão no local, coceira e pequenas bolinhas vermelhas, que, nos piores casos, infeccionam e geram abscessos com pus.
Pode aparecer em todo o corpo, sendo uma inflamação mais comum no rosto e pescoço.

Quais os tipos de foliculite no rosto?

Existem dois grupos: foliculite superficial e foliculite profunda.
A foliculite superficial é mais comum e fácil de ser tratada, pois afeta somente a parte mais superficial do folículo piloso. Causa pequenas lesões na pele.
A foliculite profunda é mais grave, uma vez que atinge as camadas mais profundas e extensas da pele. Pode causar furúnculos ou carbúnculos.

Quais os sintomas da foliculite?

Os sintomas variam de acordo com o tipo de foliculite, porém alguns deles são comuns em ambos os casos.
São manchas e bolinhas avermelhadas na pele, sobre os pelos, com presença ou não de pus e crostas. Há maior sensibilidade da pele, causando dores, desconforto e coceiras.
Conforme a profundidade que alcança, a foliculite pode apresentar nódulos e abscessos com pus.

Quais as causas?

Qualquer inflamação do folículo piloso pode dar origem à foliculite, contudo alguns fatores podem aumentar a sua incidência:

  • atrito com lâminas;
  • lesões causadas por má depilação;
  • lesões como dermatite e acne;
  • uso de antibióticos por longos períodos, sobretudo para tratamento de acne;
  • alterações hormonais;
  • obesidade;
  • roupas apertadas que aumentam o calor;
  • predisposição;
  • exposição prolongada a água quente (banheira de hidromassagem).

Qual o tratamento?

Quando a foliculite não se cura sozinha, é importante avaliar a sua intensidade. Em geral, as superficiais exigem somente o uso de sabonete antisséptico e cuidados com a higiene.
Nos casos mais graves, quando ocorre infecção, são necessários antibióticos orais receitados pelo médico.
Não é recomendado estressar ainda mais a foliculite, por isso é preciso evitar mexer no pelo encravado.

Como evitar a foliculite?

Em linhas gerais, é possível prevenir a foliculite com cuidados com a pele, principalmente com a depilação. Vamos a eles:

  • evitar fazer a barba mais de uma vez ao dia e, quando o fizer, evitar passar a lâmina duas vezes no mesmo lugar;
  • hidratar a pele cotidianamente e com mais intensidade antes da depilação;
  • usar sabonete antisséptico no cotidiano, antes e após a depilação;
  • evitar o uso de roupas de banho molhadas por muito tempo;
  • esfoliar a pele uma vez por semana, no caso de ter foliculite com frequência.

Quais as alternativas à depilação com cera?

A depilação incorreta é uma das principais causas da foliculite, por causa das microlesões que abrem as portas da epiderme para os microrganismos.
Daí a necessidade de buscar métodos menos invasivos ou que permitam maior controle do crescimento dos fios, como a depilação a laser. Ela destrói o folículo piloso, evitando o surgimento da foliculite.
Procure sempre o acompanhamento de um profissional ao fazer procedimentos de depilação. Ele pode indicar a prática mais interessante e aconselhar a frequência com menor chance de surgir a foliculite no rosto.
Gostou do que leu? Leia também sobre depilação a laser para barba e tire as suas dúvidas a respeito.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *