Depilação a laser dói? Descubra agora mesmo!

Depilação a laser dói? Descubra agora mesmo!

Uma pergunta muito frequente é: depilação a laser dói? Assim que você opta por novos métodos, torna-se comum se questionar sobre se é ou não dolorido, aliás, queremos comodidade, mas sofrer por isso não é lá a melhor escolha.
Por exemplo, se você opta ou já optou pela depilação com cera, percebeu que ela traz uma série de incômodos, entre eles a dor e a foliculite. Fazer depilação a laser sem dor nem sempre é possível por conta do processo de cauterização do folículo — isso causa certo desconforto. Mas calma!
A boa notícia é que isso pode ser contornado com alguns processos e cuidados que você conhecerá neste post. Vamos lá?

Quando a depilação a laser dói?

A melanina presente no fio é afetada pela energia em forma de luz do laser que destrói ou retarda a capacidade do folículo de produzir um novo fio. Aqueles que não são eliminados nas primeiras seções crescem mais fracos e finos.
Esse processo exige que a raiz seja aquecida a uma temperatura acima de 60ºC, causando dor — principalmente em áreas mais sensíveis como a virilha. A sensação de ardência pode variar conforme a pessoa, a região a ser depilada, o stress, entre outros fatores.
Em geral as pessoas que aguentam a cera não devem sofrer tanto com o laser, mesmo com o desconforto quando recebem o disparo.
O pior é que a depilação a laser pode causar queimaduras de segundo grau se a intensidade do aparelho não estiver bem regulada. O ideal é que você procure clínicas especializadas com biomédicos e estiticistas que ofereçam tratamento qualificado.
Alguns cuidados básicos como não expor a área depilada ao sol, são essenciais para o sucesso do tratamento.

Como tornar a depilação a laser indolor

A região depilada pode ficar dolorida, vermelha e irritada, sobretudo nas pessoas mais sensíveis. Trata-se de uma sensação que geralmente desaparece em algumas horas, contudo pode ser amenizada quando aplicada água termal e produtos (cremes e pastas) à base de corticoides ou calamina.
Além deles, há soluções anestésicas capazes de diminuir as dores causadas pelo laser (para antes e/ou depois). Entre eles podemos destacar:

1. Anestésicos tópicos

Os anestésicos tópicos atuam impedindo a transmissão dos impulsos nervosos, bloqueando a condução do impulso nervoso por conta da inibição do influxo de sódio.
A lidocaína é um dos anestésicos tópicos mais utilizados em procedimentos que envolvem o laser — e não somente na depilação.

2. Cremes

Geralmente têm como base xilocaína, menta, cânfora e outras substâncias cicatrizantes ou que proporcionam uma sensação de dormência na epiderme, aliviando a dor do laser.
Lembrando que a xilocaína só deve ser usada com prescrição do médico para evitar superdoses.

3. Criogênico em spray (Crioterapia)

A Crioterapia resfria a área do corpo utilizando nitrogênio líquido ou gelo seco em spray ou sondas.
A técnica reduz a temperaturas a até 196 graus Celsius negativos. A ideia é que esse resfriamento diminua a sensibilidade da pele e reduza as dores. Um laser muito conhecido por sua eficiência no tratamento e que utiliza este método de resfriamento é o Laser de Alexandrite.

4. Rolo de gelo

O skin cooler ou rolo de gelo também diminui dores após o procedimento. O intuito é semelhante ao do criogênico, com a vantagem de ser mais acessível. Pode ser usado pouco tempo depois da sessão.
Vale ressaltar que já existem algumas técnicas de depilação a laser sem dor, a exemplo do Laser de Alexandrite, apontado como o mais eficiente e confortável atualmente. É um tratamento agradável, uma vez que seu resfriamento exclusivo proporciona maior conforto ao gelar a epiderme, o que gera maior segurança ao paciente.
Gostou do que leu? Acompanhe nosso blog com muitas novidades sobre o mundo da depilação.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *